quinta-feira, 30 de junho de 2011

Cartaz das próximas corridas em Luanda

quinta-feira, 23 de junho de 2011

6 horas de Nova Lisboa 1969



Uma prova que chegou a estar inscrita no calendário anual como tendo 12 horas. Esta 2ª edição das "6 Horas", não era ainda internacional (só seria a partir de 1971) mas já contava com a participação de bons pilotos de "Portugal continental".

No 1º minuto do clip abaixo, temos uma amostra destas 6 horas. Vemos os vencedores José Lampreia - Albio Pinto no 2002 Schnitzer AAB-08-11, que 3 anos mais tarde iria para as mãos de A J Oliveira.
A dar luta, vemos o Lotus Europa 47 de Marta, pilotado por Herculano Areias, que irá desistir.
O 911 é da equipa Fernando Pinhão - Altino Fraga, que ficará em 2º, a 13 voltas do 1º.
O Opel GT (4º classificado) é da equipa Silveira Machado - António Lacerda.
Vêem-se muito mal mais uma série de carros mais ou menos comuns nas corridas da época, mas queria destacar mais alguns nomes célebres de participantes desta corrida, como: Francisco Barbosa, Henrique Cardão, Pinto Leite, Cardoso Albernaz, Gil Morgado, Amadeu Inácio, Eurico Lopes de Almeida, Fernando Coelho, de entre outros de uma lista que desconheço na totalidade.


Aos olhos de hoje, vivia-se uma natural mas estranha época de corridas de alto risco e esta não foi excepção.
Freddy Vaz, do Lobito, que se inscreveu com um Cortina sem treinar, participou com a aprovação de todos os restantes concorrentes, mas terminou a sua corrida despistando-se fatalmente contra uma árvore...

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Ainda Le Mans


Enquanto se especula sobre os motivos que levaram a "máquina" de competição Peugeot a agir como agiu com Lamy, que ao cabo de um passeio de 20 minutos no carro Nº 9, teve o seu mais amargo pódio em Le Mans; Depois de se julgar ser este o derradeiro ano da marca a nível oficial com este modelo com uma designação que é da Porsche, porque mais de 12 anos de vitórias com o 908 não justificam patentes e porque "900" qualquer criança sabe que é Porsche e ponto final, fui visitar as novas de um álbum que divulguei em privado há poucos meses.
E assim, zantafio56 já tem novidades, a começar por Le Mans 2011 e o famigerado 2º lugar de Lamy:



Mas recuemos no tempo pela objectiva de "zantafio56". Coloquei links para ampliar algumas imagens, bastando para tal clicar sobre as existentes, que abrirão as imagens maiores.

1971, a mais bela máquina do mundo:



1970, Hélder de Sousa cronometrista



no Team VDS, na box do Lola nº4, de camisa amarela-laranja e boné



1969, luta pela vitória:



1966, nostalgia:



Todas estas imagens não são cópias e respeitam o alojamento de origem. Os links são exactamente os do álbum.

Toutes ces images ne sont pas des copies et respectent le logement d'origine. Les liens sont exactement les mêmes que de l'album.

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Repetições nas 24 horas


A história quase se repete, ao ficar um 908 a poucos segundos do 1º, como aconteceu em 1969.
Só que nesse ano, a história era outra e não haviam "grupos". O vencedor deste ano, até é do grupo liderado por Ferdinand Piëch, neto de ... Porsche... E quase que teríamos um Porsche à frente de um ... 908... Há patentes que não fazem sentido, quando existe um mito com o mesmo nome, que desde 1968 venceu tudo durante mais de 12 anos...
A história quase se repetia também, mas felizmente sem consequências físicas para ninguém.
1º, aquando duma dobragem suicida, numa curva cheia de tráfego.
É certo que quem é dobrado, deve deixar passar quem dobra. Mas isto não é a F1. Embora os carros mais "lentos" sejam mesmo muito rápidos, os da frente são muitíssimo mais. Mas têm de contar com os outros! Em Le Mans é assim e sempre foi assim!
Observando a imagem abaixo, tenho alguma dificuldade em perceber como o Audi de McNish não caiu sobre o público...


Depois, já de noite, foi a vez de Mike Rockenfeller. Também contra um Ferrari. E aqui o arrepio é maior quando vemos o filme onboard. Lembramo-nos logo do que sucedeu a Bonnier, quando dobrava um (isso mesmo) GT de marca Ferrari.

Está tudo no EuroSport

quinta-feira, 9 de junho de 2011

De Benguela com amor.



Um pouco tardio este post, talvez na expectativa de mais informação. No entanto, ela existe dispersa por todo o lado, nem sempre exacta.

E assim, limito-me a fazer um flash da 2ª edição do pós guerra do Circuito da Praia Morena, que muito bem funcionou em termos de segurança, muito ajudado pelo inevitável "coeficiente de cagaço" que sempre se impõe ao correr entre árvores e postes...

O TukuTuku, club organizador, mais uma vez relembrou o seu fundador com a sua imagem num dos seus carros em prova. No caso, à partida da corrida de Novo Redondo (Sumbe) de 1967, que venceu.

Fiório de Sousa, no BRC prata e verde, não deu hipóteses e venceu as duas mangas. E repare-se que não faltaram outros bons pilotos!
Existem on-line vários clips de vídeo sobre este evento. Muitos mais do que os relativos ao ano passado. Vale a pena dar uma espreitadela e dar uma volta a uma corrida de antigamente, feita ... "ontem".

Obrigado a Toni Almeida e a Hélder de Sousa pelas fotos :)



Counter