quarta-feira, 15 de julho de 2009

ainda da Resistência


São Gonçalves, é uma amiga residente em Cela e Luanda, que conheci noutras tertúlias online.


Eis o que me contou sobre este período da "resistência":


"Os karts no Kinaxixi, foi na década de 80. E como nessa altura pouco se podia ir além de Luanda com segurança, fazíamos muitas Gincanas, Karting e Motocross nas Barrocas do Miramar. Fazíamos Rally na Zona de Quenguela Norte, onde havia as Picotas dos Poços de petróleo da FINA, e o Luis Gonçalves, meu xará (muita gente pensa que somos irmãos por causa do nome) que aparece no Megane, andou comigo nessas andanças e é pai da miuda que correu agora (2009) no Huambo. Era giro porque corriamos com os carros do dia-a-dia. Alguns, como eu, tinhamos que os poupar, pois na segunda-feira iamos para o trabalho com o mesmo carro. Estive nessas corridas do Lubango. Luís deu duas voltas de avanço ao Porsche de Maló Almeida (...)


Bons tempos esses, havia camaradagem com fartura. Não havia em Angola, nessa altura, peças para os carros, então quem tinha possibilidade mandava vir. Outras emprestávamos uns aos outros. E ainda outras eram fabricadas por bons torneiros que ainda estavam cá... Enfim... Fiz os Rallys da Fina, Sonangol e o maior nessa altura, o Rally IMAVEST. Corri com 1600SSS, Peugeot 404 com motor 504 e o último que fiz, foi o da Fina com um Fiat RAlly 128, cedido pela Guedal. Tive o 1º Premio Feminino, o da Classe e fiquei classificada na Geral em 5º lugar.


...


O desporto automóvel, sempre moveu multidões e passada a fase do partido único onde o automobilismo era considerado um desporto "capitalista", ou dos capitalistas, viram-se forçados a aceitar a modalidade que também era popular. Íamos para o autódromo de Luanda todos os fins de semana fazer corridas por conta própria, pois nas madrugadas costumávamos ir para a marginal e dar a volta no Hotel Presidente. Mas a polícia começou a andar atrás de nós... Então mudámos para o futungo de Belas, antes da ocupação das casas pela presidência e tivemos a mesma sorte. Foi então que começámos a ir para o autódromo, mas houve um problema, pois o pessoal que se abstinha de andar lá dentro, vinha com a adrelanina à flor da pele e aconteciam sempre acidentes por excessos e morria sempre alguém no regresso. E mesmo lá, havia quedas, espalhanços, e até atropelaram uma vaca, isso mesmo ou melhor ... a vaca atropelou o Alfa Romeo do Brito Rodrigues. Naquela altura havia falta de carne ... e de tudo, em Luanda! Então dividiu-se a vaca pelo pessoal.



Histórias..."


2 comentários:

Moura disse...

Grato pela informação sobre as corridas cá da "terra".
Nomeadamente as do passado recente, pois também foi feita história, e como bem disse, de resistência por muitos e variados motivos.
Só uma ressalva...essa corrida foi ganha pelo Maló Almeida.

asperezas disse...

Obrigado pela ressalva, Moura!

Appareça sempre!


1 abraço.

Counter