sábado, 20 de dezembro de 2008

Há 39 anos








6 comentários:

Ruy disse...

Grande Fernando:

Muitos comentários já foram feitos a respeito dessa corrida, e muitos mais a respeito desse fatídico acidente.

O que poderei dizer depois de tudo que já foi dito?

Talvez só voltar um pouco no tempo, e recordar que nesse aos 11 anos nesse domingo 21 de dez de 1960 eu já tinha sido infectado pelo "Automóbilis racing vírus".

Embora de longe, mas em cima de um edifício fui um dos que teve uma visão "nada privilegiada" do pior acidente de automobilismo de competição em Angola.

Para encerrar, parabéns por não ter deixado passar em branco depois de 39 anos, aquilo que serviu de divisor de águas (infelizmente) para o desenvolvimento do esporte a motor de Angola.

A todos um Feliz Natal

asperezas disse...

Este drama, tantas vezes adivinhado, foi a gota d'água para a mudança no automobilismo em Angola. E que mudança: Huambo capital do automobilismo internacional, autódromos, Teams a sério (Alfa-Socoína; BMW-Autocal/Tecar/HED/Trevauto; Ford-Mocar; Chevrolet+Opel-Motorang; etc, etc) pilotos e provas melhor preparados...

Para ti, Ruy, e para todos os que nos visitam, Feliz Natal.

Joao Coimbra disse...

Triste recordação de facto! mas faz parte da história do desporto automovel em Angola.
Apesar de nessa data, ainda estar em Lisboa, já com 17 anos a acabar o primeiro periodo do 6º ano dos Liceus, rápidamente soube da noticia.
Essa excelente e premiada foto do nosso bom amigo Eduardo BAIÃO (já falecido),segundo conversa com ele anos mais tarde, foi tirada do Atelier do Arquitecto Fernando BATALHA (quase centenário, mas ainda vivo em Portugal), dum prédio que felizmente, apesar de algo deteriorado ainda hoje existe, e se chama(va) Prédio BAÍA.
Que belas provas assisti do Atelier do Arqº quando jovem!
Penso, se a memória não me atraiçoa, que uma das vitimas era uma Srª Sul-Africana (mulher do corredor Ian Craig - Ford Cortina Lotus), que "abusou" saindo para fora do passeio de forma a captar uma melhor foto...
Recordar é viver.
Obr. Fernando.
Boas Festas
joao coimbra

Ruy disse...

Está correto o nosso amigo João Coimbra, quando se refere à morte da esposa do piloto sul-africano que nesse dia estava largando num Ford Escort.

O prédio que Coimbra se refre ficava na esquina da Av. Marginal com a praça do "Baleizão" e era conhecido por esse nome porque em cima dele tinha um letreiro luminoso dos cigarros Baía.

abraços a Todos, e mais uma vez Feliz Natal

Ruy disse...

Passada a adrenalina do reveillon, e já descansado me pergunto: será que a propaganda luminosa era dos cigarros Baía, ou eu inventei esta marca, e na verdade a propaganda era dos cigarros Delta?

Bom, vamos mudar de carros para cigarros, mas o importante é trocarmos idéias.

Feliz 2009

asperezas disse...

Haviam os dois, Baía e Delta...
Possívelmente tb a propaganda luminosa a ambos...

Counter